segunda-feira, 27 de junho de 2011

Referendando...BARROSO, Geraldo (2008). Crise da escola ou na escola ? Uma análise da crise de sentido dos sistemas públicos de escolarização obrigatória. Revista Portuguesa de Educação. CIEEd – Universidade do Minho.

Barroso discute os significados atribuídos à crise da escola pública ao longo da História, ressaltando a importância dos diferentes contextos dentro do processo.           Desse modo, ele afirma que a crise da escola não pode ser entendida ou superada se a discussão acerca do assunto ficar restrita a própria escola. Compreender os fatores que contribuíram para o enfraquecimento das promessas da modernidade ou os efeitos da globalização econômica e cultural é essencial para situar a crise da escola contemporânea a partir dos processos históricos que a precederam.
            O autor discute os impasses da universalização da escola, que ao tornar-se acessível a um número maior de pessoas, tornou visível o fracasso escolar que antes não era tão evidente. Parte daí grandes questionamentos para entender qual a causa de tamanho fracasso. Barroso sugere a mudança do público alvo como causa importante, tendo em vista que a escola estava preparada para atender aos setores privilegiados da sociedade e não soube lidar com as diferenças impostas pela abertura do ensino as demais classes sociais.
            Para o autor, superar o caráter excludente e alcançar as diferenças socioeconômicas e culturais tem sido  o grande desafio para um modelo escolar que assume o ideal de ser igual para todos, desconsiderando que  nem todos  são iguais. Nessa perspectiva ele discute brevemente as alternativas que foram pensadas com vistas a reverter o processo de fracasso escolar, lembrando que tudo que se alcançou foi perpetuar a desigualdade e aumentar a exclusão, uma vez que tais tentativas tendem a evidenciar a criação de um currículo de nível mais baixo, para alunos de baixo nível.
            Outro importante aspecto discutido pelo autor é a afirmação de que a crise supra mencionada torna evidente que o simples acesso à escola já não é garantia de conhecimento aos que nela adentram.
            Diante da evidencia de que tudo muda, mas a escola permanece a mesma; Barroso conclui o artigo propondo uma reação, um esforço para encontrar caminhos alternativos para a escola pública.
            Fazendo uma análise crítica da discussão proposta por Barroso, alguns  pontos chamaram a atenção no que diz respeito a forma de entender a crise do modelo escolar na contemporaneidade atentando para a complexidade da questão.
Entender todo o processo histórico que determinou a presente situação da escola é fundamental para pensar em mudanças que realmente façam diferença.          Fora desse contexto as tentativas permanecerão vãs, como a muito vem acontecendo.
Sabemos que o que ocorre de fato é a crise do modelo escolar, que para ser vencida necessita ser encarada de frente, despida de interesses e ideologias. Apenas compreendendo a dimensão do papel da escola na sociedade, os interesses que defende, e olhar com o devido cuidado para os sujeitos envolvidos, capacitando-os e dando-lhes autonomia para reverter o quadro atual, poderá ser identificado nesse novo contexto o que se espera da escola e os caminhos possíveis para alcançar tais ideais.
A mudança é um processo e não acontecerá de um dia para outro. No entanto, o modelo escolar só iniciará de fato sua jornada de aperfeiçoamento, quando houver vontade política para tal; e infelizmente essa vontade só acontecerá quando os governantes entenderem que para além da postura crítica que a educação fatalmente trará aos cidadãos, a nação também poderá vislumbrar desenvolvimento e então será possível visualizar lucro em uma educação decente.
A partir dessa consciência serão dadas as condições para encontrar alternativas que possam vencer a crise do modelo escolar e assim alcançar um ensino de qualidade, com aprendizagem assegurada. Certamente o chamado de Barroso é estimulante e indiscutivelmente necessário, no entanto, outros atores precisam entrar em cena para mudar os rumos dessa História .
            

Nenhum comentário:

Postar um comentário