segunda-feira, 11 de julho de 2011

Referendando...Middelton-Moz, Jane. Bullying: estratégias de sobrevivência para crianças e adultos.Porto Alegre: Artmed. 2007.

O livro traduzido por Roberto Cataldo Costa, teve a consultoria e revisão técnica de Cléo Fante, reconhecida como autoridade em pesquisas sobre o tema. Trata-se de uma abordagem ampla, que não se limita  a discussão do bullying escolar e adentra nos mais variados espaços onde o fenômeno acontece cotidianamente.
            O bullying é encarado enquanto extremamente danoso, apresentando relatos de suicídio de vítimas que não suportaram a crueldade constante e sistemática e decidiram por fim ao sofrimento de modo dramático. O relato a seguir ilustra a gravidade do problema:
         Um menino de 14 anos que havia sido vítima de bullying por algum tempo e cometeu suicídio para escapar à dor deixou o seguinte bilhete à sua mãe: “Eu poderia pegar uma arma e atirar em todos os meninos, mas não sou uma pessoa má. Também não vou dizer quem são os bullies. Você sabe quem eles são. Eu ria por fora e chorava por dentro. Mãe, depois de minha morte, vá até a escola e fale com os meninos. Diga para que parem com o bullying uns sobre os outros, pois isso machuca profundamente. Estou tirando minha vida para mostrar o quanto machuca.” (Moharib,2000)
            Ao longo do livro, variados relatos de vítimas e até mesmo de bullies, são apresentados. Bullying na escola, no trabalho, entre amigos, parentes, casais... as autoras demonstram que o fenômeno pode acontecer em qualquer tipo de relação interpessoal e fazem uma análise das causas que levam uma pessoa cometê-lo.
            Como o título indica, é apresentado um manual com estratégias de sobrevivência, com indicações de como fortalecer-se para resistir aos ataques. Fazendo uma analogia  a um curso de direção defensiva,  elencam seis  estilos comuns de bullying  ensinando a lidar com cada um deles. São eles: 1- colisões de frente; 2- colisão traseira; 3- acelera, diminui: o controlador; 4- óleo na pista; 5- jogar para fora da estrada; 6- os bullies são especialistas em seu comportamento.
            A autoconsciência também aparece como estratégia de enfrentamento, nas palavras das autoras: “O reconhecimento e a aceitação de quem somos, com qualidades e defeitos, possibilitam que não fiquemos confusos nem sejamos pegos desprevenidos.”
            A influencia dos pais e outros adultos cuidadores, a regulação das emoções, o desenvolvimento da consciência, o peso das expectativas  impraticavelmente altas, são alguns dos temas tratados como ligados ao bullying .
            Considero um material que oferece subsídios para uma reflexão acerca do bullying com sugestões que são realmente úteis para o seu combate. Entretanto, embora a discussão desse fenômeno esteja em evidência  sob as mais variadas perspectivas, existem ainda muitos aspectos que precisam ser desvendados. Enfim, não é um livro denso, apenas mais um olhar sobre o tema que poderá ampliar o leque de possibilidades que essa investigação exige.

Nenhum comentário:

Postar um comentário