segunda-feira, 28 de março de 2022

ENTENDA O TRANSTORNO DE PERSONALIDADE BORDERLINE

 


O Transtorno de Personalidade Borderline ocorre quando a pessoa tem dificuldade em processar ou gerenciar suas emoções.

Muitas vezes, envolve problemas de autoimagem, variações de humor e mudanças comportamentais. Além disso, pode causar uma sensação de instabilidade e insegurança.

Esses sintomas fazem com que o indivíduo tenha comportamentos impulsivos e estabeleça relacionamentos tensos com amigos e familiares.

As causas ainda não estão totalmente esclarecidas. Os especialistas acreditam que vários fatores influenciam o surgimento do Transtorno, principalmente questões genéticas e ambientais.

Embora nenhum gene específico tenha demonstrado causar diretamente a condição, pesquisas sugerem que pessoas que têm um familiar próximo podem estar em maior risco de desenvolver o transtorno.

Pessoas que vivenciam eventos traumáticos da vida, como abuso físico ou sexual durante a infância ou negligência também correm maior risco de desenvolver o Transtorno.

Além disso, sabe-se que o sistema de regulação emocional pode ser diferente em pessoas com o Transtorno, indicando que há uma questão neurológica para alguns dos sintomas.

Algumas partes do cérebro que controlam as emoções e a tomada de decisão/julgamento podem não se comunicar de maneira adequada umas com as outras.

Estima-se que 75% das pessoas com esse transtorno são mulheres. Na maioria dos casos, os sintomas começam no início da idade adulta.

Quais são os sintomas?

O sintoma principal do Transtorno é a dificuldade em regular as emoções. A pessoa pode sentir emoções intensamente e por longos períodos e pode achar mais difícil retornar a uma emoção básica depois de experimentar o estresse emocional.

Entre os sintomas de Transtorno Personalidade Borderline podemos citar:

  • Comportamentos de automutilação;
  • Padrão de relacionamentos intensos e instáveis ​​com a família e amigos;
  • Autoimagem instável e distorcida;
  • Comportamentos impulsivos, como gastos excessivos, relações sexuais inseguras, compulsão alimentar ou dirigir de forma imprudente;
  • Sensação de vazio constante;
  • Dificuldade em confiar nos outros e medo irracional do que outras pessoas podem fazer;
  • Raiva irracional e intensa;
  • Bruscas mudanças de humor;
  • Pensamentos suicidas.

 

Como é feito o diagnóstico?

Diagnosticar o transtorno pode ser um desafio porque, muitas vezes, pode ocorrer juntamente com outras condições de saúde mental, como ansiedade ou depressão.

Geralmente, o diagnóstico é realizado por um psiquiatra ou psicólogo após uma breve entrevista que identifica os sintomas relatados pelo paciente.

Os profissionais de saúde mental podem diagnosticar a condição após uma avaliação psicológica completa, durante a qual perguntam sobre o histórico clínico da pessoa e seus sintomas.

Muitas, vezes, o transtorno ocorre juntamente com outras condições de saúde mental, como:

  • Depressão;
  • Transtorno Bipolar;
  • Transtorno de ansiedade;
  • Abuso de substâncias;
  • Distúrbios alimentares.

 

Formas de tratamento

O tratamento envolve terapia comportamental que ajuda a identificar e a mudar crenças, comportamentos e percepções imprecisas que a pessoa tenha sobre si mesma ou sobre os outros.

E a terapia também contribui para que o indivíduo reaja de uma forma mais natural quando está zangado, inseguro, ansioso ou com pensamentos suicidas.

A medicação, além de tratamento de psicoterapia, pode ser indicada para ajudar com alterações de humor ou depressão.

Os especialistas podem indicar antidepressivos para tratar a depressão, antipsicóticos para tratar sintomas agressivos e ansiolíticos para tratar a ansiedade.

Em alguns casos, como aqueles em que uma pessoa tentou o suicídio, pode ser necessário o tratamento em ambientes especializados, como hospitais e clínicas psiquiátricas.

Geralmente, essas internações são curtas, apenas para controlar os sintomas depressivos e evitar que a pessoa se machuque.

 

Referências:

https://www.nhs.uk/mental-health/conditions/borderline-personality-disorder/overview/

https://my.clevelandclinic.org/health/diseases/9762-borderline-personality-disorder-bpd

https://www.health.harvard.edu/a_to_z/borderline-personality-disorder-a-to-z

Por Dra. Fabiele Russo/NeuroConecta

domingo, 27 de março de 2022

Estudantes têm até 31 de agosto para renegociar dívidas do Fies

O presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE),  Marcelo Lopes da Ponte é o entrevistado no programa A Voz do Brasil


Cerca de um milhão de estudantes brasileiros está com as parcelas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) em atraso. O governo federal, no entanto, disponibilizou canais de renegociação que buscam saldar as dívidas e restabelecer o crédito positivo para quem se encontra negativado, foi o que disse hoje (24), em entrevista ao programa A Voz do Brasil, o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Marcelo Lopes da Ponte.

Segundo Ponte, cerca de R$ 9 bilhões são devidos em parcelas não pagas. O saldo devedor total do Fies é de R$ 38,6 bilhões, dos quais o governo federal tenta recuperar uma parte com o novo programa de quitação de dívidas.

Iniciada em 7 de março, a jornada de renegociações vai até 31 de agosto. Para participar, o estudante deve ter parcelas em atraso a partir de 90 dias. Os descontos vão de 12% a 92%, e os planos de parcelamento podem chegar a 150 parcelas. Estudantes interessados podem simular os novos contratos de maneira digital, por meio dos apps do Banco do Brasil ou da Caixa.

O presidente do FNDE informou, ainda, que os estudantes com nome negativado em serviços de proteção ao crédito terão o cadastro restabelecido assim que quitarem a primeira parcela.

Salário-educação

Segundo Ponte, o FNDE já repassou mais de R$ 1,36 bilhão do salário-educação a estados e municípios, que devem ser investidos em infraestrutura escolar, material didático e transporte para alunos. 

“O salário educação é uma das principais fontes de financiamento da educação pública no Brasil. Cabe ao gestor local definir qual a melhor destinação de recursos, de acordo com a realidade de cada rede. Pode investir em várias ações, como: capacitação de professores, construção, reforma, ampliação de escolas”, explicou.

Marcelo Lopes da Ponte explicou, ainda, que a previsão é que o FNDE repasse anualmente cerca de R$ 15 bilhões em salário-educação para estados e municípios, o que deverá fortalecer a educação de nível fundamental e médio.

“Ao lado do Fundeb, [o salário-educação] é uma fonte importante de recursos para manutenção do desenvolvimento do ensino básico.”

Por Agência Brasil/Edição: Pedro Ivo de Oliveira







quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

Carnaval 2022: repouso ou folia?

 


Eita que está chegando à Folia de Momo e todos já estão seguindo suas rotinas atentos aos ponteiros do relógio para que chegue rapidinho a data tão esperada. A ansiedade para que chegue logo sábado é a mesma para a maioria, mas, certamente, por motivos bem diversos. 

Para muitos, o Carnaval é pura festa e alegria, tempo de viver suas fantasias e se esbaldar esquecendo por 04 dias, suas preocupações e responsabilidades. É uma ótima pedida que permite brincar como criança e renovar-se para voltar mais leve às atividades adultas. Naturalmente, os excessos podem ultrapassar a barreira que divide os dois mundos e trazer consequências para a vida real. Mas determinar os limites da folia é decisão particular que não nos cabe questionar. 

Para outros, o Carnaval é a possibilidade de 04 dias para repousar e curtir os prazeres da tranquilidade, com atividades relaxantes. Recarregar as energias e aproveitar o tempo livre para fazer coisas que há muito desejava, sem preocupações com a agenda é um tipo de folia sensacional.   

Surpreendentemente, também há aqueles que nem se dão conta da data tão esperada, porque ela não muda em nada as suas rotinas. 

Mas não podemos esquecer àqueles que desejam que acabe logo, por se tratar de um período de grande preocupação com filhos, amores, bebidas, entre outros.  

Enfim, dependendo do estilo de vida, a folia de Momo pode trazer diferentes sensações e despertar variados desejos ou repulsas. Aí vem a questão, o que a data significa para você? Como pretende passar esse período? Independentemente das suas escolhas e desejos, o cheiro de feriado já se espalha no ar. Portanto, ao seu modo, aproveite esse tempo da melhor forma, de acordo com a sua situação e nos limites das suas possibilidades. Caindo nos braços de Momo ou de Morfeu, na quarta-feira tudo voltará à normalidade e estaremos renovados ou detonados, conforme a nossa programação.  

Mas o detalhe que não podemos perder de vista é de que estejamos felizes com nossas escolhas e que as lembranças dos dias passados sejam boas recordações. E assim vamos escrevendo a nossa história e escolhendo o gênero que dará o tom à nossa vida. Chegamos novamente ao capítulo ao Carnaval. Boas escolhas!!!  

 

Aparecida Cunha  

 


domingo, 13 de fevereiro de 2022

Ser jovem aos 90 e velho aos 18

 

No ano passado, Harriete Thompson foi a mulher mais velha a terminar uma maratona. Aos 92 anos, ela terminou a Rock’n Roll Marathon em São Diego em pouco mais de sete horas e vinte minutos. Harriete é o exemplo perfeito de como sentir-se jovem apesar da idade, do tempo e das rugas que a vida deixa no corpo e na alma.

A velhice é frequentemente associada à morte, problemas físicos, perda de memória, solidão e decadência do corpo em geral. Mas para envelhecer bem é importante livrar-se de pensamentos negativos e aproveitar todas as fases da vida. Felizmente, a expectativa de vida aumentou nos últimos séculos em mais de vinte anos. No início do século XIX, a expectativa de vida era de 45 a 50 anos de idade.

“A juventude é o tempo de aprender a sabedoria; a velhice é o tempo de praticá-la”.

-Jean Jacques Rousseau-

Em 2013, a revista Cell publicou um estudo realizado por especialistas espanhóis onde são analisadas as chaves do envelhecimento. Um dos principais resultados deste estudo foi que compreendendo e combatendo o envelhecimento, também estamos lutando contra o câncer. O envelhecimento produz danos no nosso DNA que vão se acumulando ao longo da vida e esse processo pode causar o câncer, diabetes, problemas do coração e muitas outras doenças como o Alzheimer.

Sentir-se jovem é uma atitude

juventude é uma questão de atitude perante a vida. Envelhecer é algo que não podemos evitar; o que podemos fazer é atenuar alguns efeitos da idade sobre o nosso corpo. Exercícios físicos, alimentação saudável, condições ambientais favoráveis, evitar as drogas, o cigarro e o álcool em excesso, são alguns dos fatores que podem retardar o envelhecimento.

Mas, se mantivermos a atitude de uma pessoa jovem, poderemos desfrutar do processo de aprendizagem que envolve o envelhecimento. Para sentir-se jovem, propomos algumas estratégias:

Realize os seus sonhos

Quando ficamos mais velhos, percebemos que não realizamos todos os nossos sonhos por falta de tempo ou porque os consideramos impossíveis. No entanto, ter acumulado anos não significa que temos que aceitar comentários como: “você já não tem idade para”… e se deixar influenciar pelas opiniões alheias.

Isto não quer dizer que devemos nos comportar como um adolescente, mas que não devemos renunciar ao que queremos porque temos uma determinada idade: estudos, viagens, esportes, conhecer novas pessoas, etc. Nossos limites, na maioria dos casos, são muito mais amplos do que pensamos.

“Não perca o seu entusiasmo, virtude tão valiosa quanto necessária; trabalhe, sonhe, queira sempre mais”.

-Ruben Dario-


Mantenha-se atualizado

A moda, a tecnologia, a sociedade em geral, mudam constantemente, por isso é necessário adaptar-se às mudanças e aprender coisas novas para manter-se jovem, com uma mente ativa e em movimento constante.

Proteja o seu tempo e o seu espaço

Quando envelhecemos nos concentramos mais nos outros do que em nós mesmos, mas é muito importante encontrar um espaço para fazer o que gostamos e respeitar o tempo que dedicamos a essas atividades. Precisamos encontrar um equilíbrio entre o tempo dedicado aos outros e ao nosso próprio tempo.

Sorria sempre que puder

O riso é algo que vai fazer você se sentir muito mais jovem; ria de si mesmo, das coisas divertidas que acontecem todos os dias, e encare os problemas diários com bom humor. Você pode até participar de um curso de terapia do riso, onde vai se divertir muito e conhecer novas pessoas.

Ser velho aos 18 anos

Existem pessoas que tiveram uma vida muito complicada ou simplesmente se sentem velhas, mesmo sendo muito jovens. São pessoas que não se adaptam às mudanças da vida, que se fecham em casa e que não se relacionam com ninguém. Mas, porque isso acontece?

As pessoas sentem-se velhas quando abandonam seus sonhos, seja por circunstâncias da vida ou por escolha. Deixar de sonhar e tentar realizá-los são uma das causas do envelhecimento. Desfrute o presente.

Além disso, esse tipo de pessoa tem uma baixa autoestima, não se ama, não se valoriza, e isso faz com que se feche dentro dos seus pensamentos. Reforçar a autoestima gradualmente promoverá uma abertura e a pessoa começará a interagir com o ambiente e com os outros. Não se trata de ter rugas ou não, mas de sorrir para a vida.

“O medo de envelhecer nasce do reconhecimento de que não estamos vivendo a vida que desejamos. É equivalente a sensação de estar fazendo um mau uso do presente”.

-Susan Sontag-

Por amenteemaravilhosa.com.br

 





quinta-feira, 10 de fevereiro de 2022

Sistemas de Informação: um mundo de possibilidades para além da notificação correta.

 

Foto da Matthew Henry do Burst

Nas mais diversas áreas de planejamento, os sistemas de informação são grandes aliados, que possibilitam visualizar o panorama da realidade na qual se pretende intervir. Contudo, embora o mundo virtual seja uma realidade nos dias atuais, ainda nos deparamos com muita resistência por parte das pessoas que compõem a rede de serviços. Seja por dificuldades em compreender o sistema; seja pelo fato de que alguns serviços têm mais de um sistema, confundindo o entendimento do usuário; seja pela dificuldade de acesso à internet (no caso de serviços públicos em municípios pequenos); ou ainda, pela sobrecarga e trabalho, que torna impossível ao profissional da ponta, dar conta de todas as demandas que lhes são impostas. 

Nesse sentido, sistemas pensados para dar uma cobertura completa, com infinitas possiblidades, naufragam, com dados incorretos, insuficientes e subaproveitados. 

É nesse cenário que as equipes de coordenação, que planejam e monitoram os serviços, compreendem a necessidade de aprimorar a inserção dos dados e trabalham continuamente com capacitações e treinamentos, visando reverter o quadro citado.    

Naturalmente, essa é a decisão correta, até porque capacitação continuada é essencial para a constante atualização dos profissionais, na busca de oferecer um serviço de excelência. 

Entretanto, podemos observar na prática, que ficamos tão envolvidos na etapa de garantir as inserções de dados, que não conseguimos avançar tanto quanto poderíamos, na comunicação e apropriação da informação. 

Sabemos que um dado, sem a interpretação devida, não tem valor para nenhum tipo de estudo e/ou planejamento. Ele só passa a ter sentido quando analisado e a partir de então, se transforma em informação. Aí sim, abre-se um mundo de possibilidades para que uma dada realidade seja compreendida e passível de intervenção de acordo com as necessidades identificadas.     

Penso que perceber o meio termo e manter o equilíbrio entre as duas ações é essencial. Uma vez que assegurar a inserção de dados corretos e em tempo hábil é fundamental, entretanto, se não deixarmos um tempo em nossa agenda para trabalhar esses dados e intervir a partir do que for identificado, nosso esforço não terá sentido algum. Afinal, a inserção correta de dados é um instrumento para atingir o objetivo de conhecer determinada realidade, não é fim em si mesma. 

Fica então o desafio para avançar e aproveitar as potencialidades dos sistemas de informação: que tipo de informação você pretende tirar desses dados? É possível trabalhar simultaneamente a capacitação continuada e a análise dos dados?  

Claro que sim! Basta definir um cronograma de trabalho que contemple os dois processos e verá que eles se complementam e retroalimentam, contribuindo para a estabilidade dos processos de trabalho. Não permita que a inércia de alguns paralise as inúmeras possibilidades de atuação que você pode provocar. Ouse, faça a diferença e mude o cenário ao seu redor para melhor. É sempre possível avançar para além das dificuldades cotidianas e deixar a sua marca por onde passar. A bola é sua! 

Aparecida Cunha