Catálogo aponta caminhos do ensino de ciências no Brasil

Efetuar o levantamento e a classificação de todos os escritos acadêmicos e didáticos sobre a alfabetização científica no Brasil é um trabalho que vem sendo realizado por pesquisadores do grupo de estudos Formar, ligado à Faculdade de Educação (FE) da Universidade Estadual de Campinas.

A ideia é compor um panorama geral sobre o ensino de ciências no país, com o reconhecimento das linhas teóricas mais trabalhadas, os métodos utilizados para as pesquisas, assim como os resultados alcançados pelos estudos. Com esses dados em mãos, será possível realizar tanto o compartilhamento de projetos bem sucedidos, como reconhecer os focos nos quais uma compreensão das ações pedagógicas deve se intensificar.         

Segundo a professora de Biologia da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) e pesquisadora do Formar, Thaís Gimenez, somente a partir desse tipo de organização é possível desenvolver um aporte técnico para pesquisadores da área, abrindo assim a possibilidade de melhorar a transmissão dos fundamentos da ciência, seja na educação infantil ou no ensino médio. “Não adianta ter um grande número de pesquisas numa área sem reflexões sobre as mesmas. É preciso fazer trabalhos periódicos de análise e balanço da produção científica em um determinado campo, e a partir desses resultados, análises mais específicas dessa produção”, afirma Gimenez.

A procura e a apresentação das informações

Iniciado em meados dos anos 90, o grupo de estudos Formar valeu-se de dados organizados desde 1987, pelo centro de documentação da FE, para elaborar um primeiro catálogo. Nesse produto inicial, lançado em 1998, foram reunidas informações a respeito de 572 teses, dissertações e artigos ligados à difusão escolar da ciência, defendidas entre os anos de 1972 a 1995.

A segunda etapa do projeto está ampliando esses dados, com a introdução dos trabalhos publicados até 2007. Com o aumento da produção ligada ao assunto, estima-se que na nova compilação deverão constar mais de 1500 escritos sobre o ensino de Física, Biologia, Química ou mesmo Educação Ambiental. 

O material irá conter tanto os resumos das pesquisas, como uma classificação das mesmas a partir dos seguintes registros: autor do trabalho, orientador, instituição e unidade de ensino no qual foi produzido, além do ano de sua defesa, o grau de titulação acadêmica do autor, nível escolar a que se direciona o produto (ensino fundamental ou médio), área de conteúdo do currículo escolar e foco temático.

O novo catálogo de pesquisa sobre a educação em ciências no Brasil será lançado ainda no final de 2011.
Por  Fabiano Conte
Revista Eletrônica Com Ciência

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mergulhador encontra bomba da 2ª Guerra em praia de Fortaleza

Mundo da Lua’, ‘Castelo Rá-Tim-Bum’… TV Cultura libera programas clássicos no Youtube

Universidade oferece bolsas para Doutorado Sanduíche