Instituto do Cérebro leva conhecimento sobre Neurociências para o interior do Rio Grande do Norte


É difícil explicar em uma única frase, matéria jornalística ou mesmo artigo científico o tamanho do conhecimento que promove uma Universidade. Mas quando as pessoas têm acesso direto a algumas de suas ações fica muito mais fácil a compreensão, senão do todo, ao menos de parte daquilo que é produzido dentro dos muros acadêmicos.

A extensão universitária é uma dessas ferramentas que facilitam a interação da sociedade com o conhecimento científico. Segundo o neurocientista Bryan Souza, isso acontece porque “a extensão consiste em aplicar ferramentas disponíveis no ambiente universitário numa atuação social direta, com impactos locais ou regionais imediatos”.

Muitos fatores criam barreiras para a concretização desse intercâmbio de saberes, um deles é a distância geográfica. Mas, aos poucos, o Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (ICe-UFRN) mostra que com simplicidade esses limitantes vão sendo superados.
Nos próximos dias 14 e 15 de março, pesquisadores, professores e técnicos irão percorrer 245 km para levar conhecimento a toda uma cidade. Por meio de uma parceria com a prefeitura, o município de São José do Seridó receberá a 8ª edição da Semana do Cérebro, iniciativa que acontece em todo o mundo durante os meses de março.

Esta atividade começa em Natal, nos dias 11 e 12, com um ciclo de palestras sobre Ciência, Tecnologia e Informação (CTI) promovido no auditório B205 do Instituto Metrópole Digital (IMD).
No dia 13, oficinas de neurociências serão levadas ao Memorial da Capoeira, no bairro Cidade Nova. Escolas, grupos assistidos pelo município e sociedade participarão do momento de interação com o conhecimento científico.

A Semana se encerra justamente nos dias 14 e 15 com programação em São José do Seridó. Na noite do primeiro dia, o neurocientista Bryan Souza realiza workshop para os professores do município e interessados em Educação e CTI com o tema Ciência, Política e Educação. A proposta busca demonstrar uma relação destes três temas no cotidiano dos que têm como missão a promoção do conhecimento e a mediação educacional.

No último dia, a Prefeitura vai mobilizar todas as escolas para que alunos e professores tenham acesso nas oficinas de neurociências que serão apresentadas no Ginásio Poliesportivo Pedro Laurentino de Medeiros.

A expectativa, segundo o secretário de Educação Roberto Santos, é que pelo menos 400 pessoas participem das atividades durante os dois dias. Porém, como se trata de uma cidade pequena de pouco mais de 4,5 mil habitantes, é certo que toda a população tome conhecimento das atividades e acabe sabendo um pouco do trabalho desenvolvido pela UFRN.

Oito anos de Extensão

Desde 2011, o ICe realiza diversas atividades extensionistas aproximando a população das Neurociências e do conhecimento científico desenvolvido em seus laboratórios.

A Semana do Cérebro é uma dessas ações que já visitou diversos lugares de Natal nos primeiros cinco anos, interagindo com alunos de escolas públicas e entidades de atuação social nos bairros e comunidades.

Natal continua na programação, mas desde 2017, o Instituto passou a levar as oficinas de neurociências para destinos mais distantes.

No primeiro ano a ação chegou ao município de Lagoa de Pedras, a 60 km da capital. No ano passado, a viagem foi maior e percorreu 312 km até a cidade de Serra Negra do Norte. Neste ano, estará em São José do Seridó, distante 245 km.

Segundo Eduardo Sequerra, coordenador de extensão do Instituto, a aproximação desse trabalho com a comunidade visa à transposição didática do conhecimento científico, o que aumenta o interesse das pessoas pela Universidade.  “Para isso é preciso criarmos parceiras para chegar a esses públicos que não têm acesso à ciência, à tecnologia e à inovação”, destaca.

Em Serra Negra, o resultado foi surpreendente. Pelo menos 800 crianças e professores da rede pública – municipal e estadual – participaram das atividades que duraram um dia inteiro. Foi preciso organizar as oficinas em um ginásio poliesportivo para comportar tanta movimentação.

Durante estas interações, o público tem acesso a oficinas sobre Bioleletrogênese, Neuroanatomia, Memória, Sentidos, Realidade Virtual, Mão Mioelétrica, Drogas, Caixa Ótica, Emotive e Estimulação Elétrica Funcional, que integram parte das pesquisas desenvolvidas no ICe-UFRN.

Para Petrúcio Ferreira, secretário de Educação de Serra Negra do Norte, o resultado da parceria foi maior que o esperado. “Tivemos a oportunidade de ver a Universidade se interiorizando e compartilhando conhecimento conosco, movimentando nossas escolas e, também,nossa cidade”, disse.

Por José de Paiva Rebouças/Boletim Especial da UFRN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A água do mar e seus benefícios para a saúde

90% dos trabalhadores querem trocar de emprego, aponta pesquisa

Curiosidades: Ano Bissexto