segunda-feira, 27 de abril de 2020

Nova espécie de cobra é batizada em homenagem a Salazar Sonserina

A cobra, que vive no norte da Índia, ganhou o nome não só porque os cientistas são fãs da saga de Harry Potter, mas também para chamar a atenção do público leigo para a biodiversidade.

















(Aamod Zambre e Chintan Seth/Eaglenest Biodiversity Project/Divulgação)
Quem nunca pensou em batizar o bichinho de estimação em homenagem a algum personagem da ficção? O mesmo acontece com os pesquisadores – a diferença é que eles têm a honra de fazer isso com espécies recém-descobertas. Uma serpente verde encontrada no norte da Índia acaba de receber seu nome oficial: Trimeresurus salazar, em homenagem a um personagem do universo de Harry Potter.
Os pesquisadores não escondem de onde veio a inspiração: “O nome faz referência a um personagem ficcional criado por J.K. Rowling, cofundador da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, Salazar Sonserina”, dizem os autores no artigo científico, publicado no períodico especializado Zoosystemathics and Evolution.
Não tinha nome mais adequado. Na série de livros, Salazar Sonserina é o patrono da casa comunal Sonserina, representada por uma serpente e pela cor verde. Assim como Harry e Voldemort, Salazar era ofidioglota, ou seja, tinha a capacidade de falar a língua das cobras.
A nova espécie, mais conhecida como “víbora de Salazar” é a segunda descoberta em de uma pesquisa conduzida nas florestas de Arunachal Com uma cor tão chamativa e vibrante, é de se estranhar que a víbora não tivesse sido descoberta até agora. Há dois motivos para essa discrição toda. A biodiversidade da região, apesar de muito rica, ainda não havia sido mapeada com detalhes (ou seja: muita gente já viu a cobra, mas não sabia que ela era desconhecida dos biólogos). Além disso, a cobra se parece muito com outras espécies do gênero Trimeresurus – que também são da mesma cor –, o que faz com que algumas passem despercebidas.
Algumas características diferenciam ela de suas parentes, como o número de dentes, uma listra laranja nas costas dos machos e o formato dos dois pênis (sim, as cobras possuem dois). Mas a confirmação de que a víbora de Salazar se tratava de uma nova espécie só veio depois de uma análise de DNA.
Ela não é a primeira a ser batizada em homenagem a Harry Potter. Em 2014, uma vespa recebeu o nome de Ampulex dementor – uma referência aos dementadores, criaturas nem um pouco simpáticas que guardam a prisão de Azkaban, onde o personagem Sirius Black ficou detido injustamente. 
Dois anos depois, uma aranha foi chamada de Eriovixia gryffindori, em homenagem a Godric Gryffindor, outro cofundador de Hogwarts, o patrono da casa Grifinória. O motivo foi claro: o animal tem o formato do chapéu seletor, artefato mágico falante que escolhe por qual das casas cada estudante será acolhido.
A homenagem à saga não é o único motivo que levou os pesquisadores a escolherem o nome. A ideia é chamar a atenção da mídia e da população para a grande biodiversidade do norte da Índia. Ela ainda é pouco estudada pela ciência, mas já está ameaçada devido à atividade humana no local. Os principais problemas são agropecuária e construção de hidroelétricas.
Por Maria Clara Rossini/Superinteressante

domingo, 26 de abril de 2020

Uma pequena amostra do meu livro...




E essa tal sabedoria? 


Sabedoria é aprender com os erros dos outros, mas na verdade custamos a aprender até mesmo com os nossos. É bem comum investir em uma situação como se dela dependesse a nossa felicidade e em razão disso ficarmos insistindo em determinados pontos, mesmo vendo claramente que não estão funcionando. Mesmo sabendo que já tentamos bastante, sempre acreditamos (porque queremos acreditar) que desta vez será diferente. Simplesmente porque não cogitamos desistir. Por que tememos tanto a mudança? Coisas novas têm o poder de oxigenar nossas vidas. Por que ficarmos presos a situações desfavoráveis apenas por temermos o desconhecido? Afinal, o próximo minuto sempre será desconhecido, não importa o quanto previsíveis e organizados nós somos, simplesmente não temos gerência alguma sobre o momento seguinte. Mas ainda assim insistimos em nos segurar em "certezas" que criamos em nome de uma falsa sensação de segurança que nada mais é que pura ilusão. 
Ter discernimento para saber a hora certa de mudar a rota  e a coragem necessária para tomar essa decisão, exige força. Mas ser feliz exige força. Fraquejar é muito fácil, porque viver é uma aventura constante, seja você aventureiro ou medroso. Perseverar, inovar e se superar é para fortes. É para sábios. Mas você pode ser forte e sábio, basta acordar e reconhecer que não há onde se esconder da vida, ela se impõe soberana e exigente e cabe a você ser devorado por ela ou mover-se graciosamente crescendo e superando seus limites. 
...
Gostou? Compre o seu, basta acessar o link:   https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1506649593-livro-feliz-mente-de-aparecida-cunha-_JM?quantity=1

Aparecida Cunha