SOMENTE 77 PARTICIPANTES ALCANÇARAM A NOTA MIL NA REDAÇÃO DO ENEM 2016


Edição apresentou queda em relação ao ano passado, quando o número foi de 104 pontuações máximas.
O resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 foi publicado nesta quarta-feira, 18 de janeiro, e um dado chamou a atenção nas informações divulgadas pelo Ministério da Educação (MEC): a pontuação da redação. De mais de 6,3 milhões de participantes, apenas 77 conseguiram atingir a nota mil. 
Houve uma queda considerável em relação aos anos anteriores, já que o Enem 2014 registrou 250 candidatos "nota mil" na redação e a edição de 2015 contou com 104 pontuações máximas. O desempenho baixo deste ano significa que a cada 76.380 participantes, apenas um conseguiu atingir a nota mais alta. 
A maior parte dos participantes, composta por 1.940.504 estudantes, tirou entre 501 e 600 pontos na redação do Enem 2016. 
Dois temas em um Enem
O Enem 2016 contou com uma peculiaridade. Por causa das ocupações de escolas que serviriam como locais de prova, mais de 271 mil participantes tiveram suas provas transferidas, ficando assim duas datas do exame: 5 e 6 de novembro e 3 e 4 de dezembro.
Com duas datas diferentes, foi preciso a elaboração de um segundo tema de redação para ser aplicado. A primeira prova, aplicada em novembro, trouxe a proposta "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil" , enquanto o Enem de dezembro trouxe para discussão "Os caminhos para combater o racismo no Brasil". 
Assim como nos anos anteriores, os dois temas propostos para 2016 se basearam em questões presentes no cotidiano e que exigem propostas de intervenção baseadas nos Direitos Humanos. 
Notas zero
O Enem 2016 registrou 291.806 redações com nota zero ou que foram anuladas. Este número não considera as provas entregues em branco, prática que passou a ser adotada em 2015, quando o total foi de 53.032 redações zeradas. Quando considerava-se as folhas de texto não preenchidas, a quantidade era maior. A edição de 2014 teve 529.373, das quais quase 300 mil foram deixadas sem nenhuma linha preenchida. 
O Inep considera algumas situações que levam ao zero, as quais são: 
- Fuga total ao tema;
- Desobediência da estrutura pedida (dissertativa-argumentativa);
- Textos com até sete linhas;
- Palavrões, desenhos, insultos e outras formas propositais de anulação;
- Desrespeito aos Direitos Humanos;
- Redação em Branco; 
- Cópia do texto de apoio. 

Como é feita a correção?
A correção é feita por dois corretores, os quais atribuem nota de zero até 200 para cada competência:
- Domínio da norma padrão da língua;
- Compreensão da proposta da redação;
- Seleção e organização dos dados e informações;
- Demonstração de conhecimento do tema, da língua e da argumentação;
- Elaboração da proposta de intervenção, respeitando os Direitos Humanos.
Por Lorraine Vilela Campos/Brasil Escola



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

90% dos trabalhadores querem trocar de emprego, aponta pesquisa

Curiosidades: Ano Bissexto

Técnica Pomodoro - o que é e como funciona