O bem estar dos colaboradores no desempenho corporativo

Adriano Cunha, Fundador do Grupo Upper Life

Adriano Cunha, Fundador do Grupo Upper Life

/GRUPO UPPER LIFE/DIVULGAÇÃO/JC
A Gestão da Performance (ou em inglês, Business Performance Management ou Corporate performance management) inclui atividades que garantam que os objetivos estejam constantemente sendo atendidos de forma eficaz e eficiente. E esta gestão de desempenho pode ser medida a partir do desempenho de uma organização, de um departamento, de um integrante da equipe ou até mesmo de processos para construir um produto ou serviço, como também em muitas outras áreas.
A tecnologia, cada vez mais presente no dia-a-dia das corporações veio pra ajudar, porém, o maior patrimônio de qualquer organização ainda são as pessoas e, com elas, é construído o intangível, a cultura da empresa, gerando mais ou menos produtividade. As pessoas estão dentro de todos esses cenários e buscam alcançar o máximo de resultado possível. Mas, para isso, precisam ser saudáveis, ou seja, vivendo o máximo de suas capacidades física e intelectual. Mas aí vem a dúvida: estas capacidades são medidas separadamente?
Absolutamente não! Estudos mostram que o exercício físico otimiza as conexões neurológicas. Para explicar melhor, vamos comparar com os serviços de internet: uma pessoa sedentária tem suas conexões neurológicas na velocidade de uma internet discada; já uma pessoa saudável e ativa tem suas conexões numa velocidade de cabo de fibra ótica.
Mas para que não pairem dúvidas sobre estar ou não sedentário, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda 150 minutos de atividade por semana para não enquadrar a pessoa na taxa do sedentarismo. Saindo do detalhado cenário neurológico e indo para o âmbito geral da saúde, a pessoa terá mais disposição (UFSC, 2005), mais qualidade no sono (Stanford, 2011), melhora da autoestima (Bonn, 20112). Este bem-estar geral vai promover um aumento significativo na produtividade de cada colaboradorador, resultando em times com mais performance e, logicamente, empresas com mais produtividade e, consequentemente, mais lucratividade.
Porque não fazer, porque não implementar? Mudar é difícil! Para qualquer ser humano no planeta Terra, o movimento natural é não se movimentar. E, muitas vezes, esse é o início do fim, como sempre cita Jack Welch: "Quando o ritmo de mudança dentro da empresa for ultrapassado pelo ritmo da mudança fora dela, o fim está próximo".
Pensando na busca pela alta produtividade para seus colaboradores, a corporação precisa ter o máximo de profissionais envolvidos no processo. A multidisciplinariedade é a condição sine qua non para alcançar esse patamar. Profissionais de Educação Física, Nutricionistas, Médicos, Fisioterapeutas, Psicólogos e profissionais da área da beleza têm muito impacto na autoestima e no engajamento dos colaboradores na cultura e nos processos da corporação. Não é uma missão fácil, mas é possível sim, com planejamento, organização, união dos serviços prestados e muita vontade de trabalhar.
Afinal, acompanhar e comparar os resultados dos processos desenvolvidos pela empresa é algo imprescindível para o sucesso. Todas as frentes citadas, com os inúmeros profissionais envolvidos, são muito poderosas. Algumas delas ou uma e outra sem sincronicidade, acaba compondo uma expressão do mundo do bem-estar, o Spa Corporativo: ações pontuais que podem até gerar uma consequência benéfica em curto prazo, mas no longo prazo não, por ter outras partes desassistidas. A atenção em bloco é fundamental para resultados consideráveis e, principalmente, consistentes. Estamos no mercado para ajudar nossos clientes corporativos.
Por Adriano Cunha/Jornal do Comércio

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A água do mar e seus benefícios para a saúde

90% dos trabalhadores querem trocar de emprego, aponta pesquisa

Curiosidades: Ano Bissexto