Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

Maior pesquisa do País sobre bullying e violência escolar encerra-se nesta sexta-feira

Pesquisa avalia o bullying entre os jovens antes e depois do Projeto Tosco em Ação Encerra-se nesta sexta-feira, 30, o prazo para alunos e professores da Rede Estadual de Educação de Santa Catarina responderem à segunda fase da pesquisa que aborda obullying e a violência nas escolas e em seu entorno. Até o momento, 4.437 alunos e 353 professores do Estado já responderam ao questionário. Suelen Librelotto Sirugi, psicóloga e coordenadora de Pesquisas da Editora Alvorada, explica que é importante obter um número alto de participantes, pois assim “é possível obter um resultado em que se possa confiar, ou seja, podemos observar a realidade escolar não como a imaginamos e sim sob a ótica de quem a vivencia diariamente, que são os alunos, professores e em breve pais e comunidade. Analisados estes números, poderão ser articuladas novas estratégias que visem sanar possíveis problemas cotidianos”. A pesquisa “Violência nas Escolas: Dados Norteadores” faz parte do projeto ‘Tosco em Ação’ e divi…

Congresso de Psicologia diferencia conceitos de violência escolar e de "bullying"

Imagem
Um professor da Universidade de Évora (UE), Vítor Franco, garantiu hoje que "nem tudo" o que é violência escolar pode ser encarado como "bullying", defendendo a necessidade de clarificar os dois conceitos. "Muitas vezes, o termo ‘bullying’ é mal usado. Este é um tipo de violência que envolve uma espécie de perseguição", esclareceu o especialista. Os dois conceitos vão ser debatidos em Évora no “XV Congresso Internacional da Associação de Psicologia da Infância e Adolescência” (INFAD), que arrancou hoje e termina sábado, subordinado ao tema "Psicologia e Relações Interpessoais no Ciclo de Vida".

O congresso, segundo Vítor Franco, presidente da comissão organizadora, dedica parte das comunicações dos quatro dias às "relações interpessoais no contexto escolar", abordando casos recentes de violência escolar, à luz da psicologia. "Violência escolar e bullying: novos riscos e novos desafios de intervenção" é um dos temas em análise…

Leila Mariano: 'A violência escolar aumentou'

Imagem
Nos últimos anos, a violência escolar virou caso de polícia e os conflitos foram  parar nos tribunais de Justiça. Para tentar reduzir a enxurrada de ações judiciais,  especialmente, as que envolvem situações de bullying, a desembargadora do  TJ Leila Mariano criou, no ano passado, um curso de Mediação Escolar para  pais e educadores na Escola da Magistratura do Estado do Rio (Emerj).  A iniciativa rendeu a ela Menção Honrosa no Prêmio Innovare, que reconhece  ações para melhorar as relações em sociedade. A ideia está dando certo.  Pelas salas de aula, já passaram mais de 200 educadores. “Hoje há uma  intolerância generalizada. Precisamos resolver os conflitos conversando  dentro da escola”, ensina. Foto: Uanderson Fernandes / Agência O Dia O DIA: Como surgiu a ideia de oferecer um curso de mediação de conflitos escolares?

LEILA: — Depois da tragédia na Escola Municipal Tasso da Silveira, que  resultou na morte de 12 estudantes por um atirador, que foi vítima de bullying,  a Escola de Magistratura …

CCHLA tem sete dos 54 projetos aprovados pela UFRN junto ao CNPq

O Centro de Ciências Humanas Letras e Artes (CCHLA) tem sete projetos de pesquisa aprovados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento tecnológico (CNPQ). No total, a UFRN aprovou 54 projetos, segundo a lista divulgada pelo CNPq.

Entre os pesquisadores contemplados está a cientista social Berenice Bento. A docente desenvolve o projeto que tem como título “Gênero: uma categoria médica ou cultural?”. O projeto propõe acompanhar e analisar os discursos contemporâneos que apontam a identidade de gênero como transtornos ou expressões identitárias. Os debates acontecem no contexto das revisões do Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (DSM-IV) e do código de Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados (CID).

A professora Berenice Bento desenvolve o projeto há dois anos, contando com o trabalho de dois alunos bolsistas da própria UFRN. Ao falar sobre a aprovação do projeto junto ao CNPq, a professora disse que o fato é motivo de comemoração…

Guaranis-Kaiowás têm saúde mental extremamente vulnerável, diz especialista

Imagem
Segundo Pedro Paulo Bicalho, do Conselho Federal de Psicologia, essas populações estão angustiadas e em pânico permanente, o que compromete a sua saúde física e mental
Guaranis-Kaiowás vivem em pânico e estresse permanente pelas ameaças de despejo, o que afetam sua saúde (Cimi/MS) São Paulo – Organizada pelo Tribunal Popular da Terra, com a participação de representantes de diversas entidades, entre elas o Conselho Federal de Psicologia (CFP), uma expedição percorreu, em janeiro passado, uma faixa que vai da região da Grande Dourados até a divisa com o Paraguai, no Mato Grosso do Sul, onde vivem indígenas Guaranis-Kaiowás. “Nosso objetivo era dar mais visibilidade a todas as violações dos direitos humanos que ocorrem com essa população, sem perder de vista também aspectos de saúde”, diz o coordenador da Comissão Nacional de Direitos Humanos do CFP, psicólogo Pedro Paulo Bicalho, que integrou a comitiva. Na entrevista a seguir, ele fala sobre a grave situação nas aldeias. O que você obse…

Projeto Diálogo com Teatro inicia 3ª turma

Imagem
Quarenta professores aprendem a usar o teatro como ferramenta  pedagógica para debater violência escolar
O Sou da Paz iniciou no dia 26 de setembro a 3ª turma do Projeto Diálogo  com Teatro, que capacita educadores a usar a linguagem teatral para  trabalhar temas como cultura de paz e prevenção da violência nas escolas.  O grupo é formado por 40 professores que atuam em bairros periféricos  da zona sul de São Paulo, como Capão Redondo, Campo Limpo e  Parque Regina.
As aulas ocorrem uma vez por semana na Diretoria Regional de Ensino Sul II,  são gratuitas e vão até 28 de novembro. Ao final do projeto, os alunos desses  educadores apresentarão diversas cenas teatrais sobre violência escolar.

O Diálogo com Teatro é financiado pelo Fundo Comgás de Patrocínio  Sociocultural e é realizado em parceria com a Secretaria de Educação  do Estado de São Paulo. Por Instituto Sou da Paz.

Ministério da Saúde envia mais de 5,7 milhões de Carta SUS Iniciativa permite que usuários avaliem o atendimento e os serviços prestados nos hospitais da rede pública ou unidades conveniadas

Desde janeiro de 2012, já foram enviadas 5,7 milhões de Cartas SUS para todo o país, permitindo aos pacientes conferir o valor do procedimento realizado e, ainda, fazer críticas ou elogios ao atendimento recebido. A Carta SUS é a correspondência enviada pelo Ministério da Saúde aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) para avaliação do atendimento e dos serviços prestados nos hospitais da rede pública e nas unidades conveniadas. Lançada em novembro de 2011, essa iniciativa aprimora os mecanismos de comunicação direta com o cidadão para melhorar o atendimento e ampliar a transparência do SUS, reforçando o controle contra o desperdício de recursos com a colaboração da população. Ao receber a carta, é fundamental que a população confira se as informações estão corretas e, caso haja irregularidade, faça uma denúncia na Ouvidoria Geral do SUS (www.saude.gov.br/ouvidoria). Todas as manifestações registradas são categorizadas e encaminhadas para instâncias governamentais, nas três esfer…

Nova norma simplifica assistência social nos municípios

Proposta de atualização da NOB-Suas  foi debatida por cerca de 700 pessoas em evento em Vitória Vitória, 6 – Facilitar e ampliar o acesso da população mais pobre aos equipamentos e serviços da assistência social. Com esse objetivo, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) apresentou proposta de atualização da Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social (NOB-Suas), que está sendo debatida nesta terça-feira (6), na 2ª Reunião Ampliada e Descentralizada do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), no Centro de Convenções de Vitória. Na avaliação da presidenta do CNAS, Luziele Tapajós, a expectativa é grande. "O novo texto da NOB-Suas derrubou barreiras de burocratização, em especial as questões sobre o cofinanciamento dos equipamentos e serviços, com o objetivo de dar mais autonomia aos municípios e oferecer aos usuários uma assistência social mais clara, objetiva e eficaz”, disse. "Com o novo desenho da norma, usuários e gestores se…