Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2017

Diferença entre árabes e muçulmanos

Imagem
A diferença entre árabes e muçulmanos acontece porque um termo se refere a um tronco etnolinguístico, ao passo que o outro faz referência a uma religião. Muitas pessoas, ao ouvirem as expressões “árabe”, “muçulmano” ou “islâmico”, pensam que se trata de uma mesma coisa. Isso faz parte de um problema que atinge não apenas os povos ligados a esses termos, mas também várias culturas, o que está ligado ao hábito que grande parte das pessoas tem de construir preconceitos a partir daquilo que pouco conhecem. Qual é a diferença entre árabes e muçulmanos? A diferença entre árabes e muçulmanos está no fato de um termo referir-se a uma composição étnica e o outro ser o nome dado aos praticantes de uma religião. Embora uma mesma pessoa possa ser árabe e muçulmana ao mesmo tempo, é importante verificar que os dois termos são totalmente distintos entre si. O árabe é um idioma e também uma composição étnica que possui, em torno de si, uma grande variedade de troncos etnolinguísticos in…

Falta de prazos pode ser empecilho no processo de adoção no Brasil

Imagem
Nilo do Matosinho e Maria Dolores namoraram durante oito anos. Um dos principais sonhos era adotar uma criança, assim que casassem. Mas o grande objetivo demorou para acontecer, assim como ocorre com várias outras pessoas pelo Brasil que desejam adotar.
Existem quase 40 mil dispostas a dar um lar para mais de sete mil crianças e adolescentes do Cadastro Nacional de Adoção. Por que, então, existem tantas crianças sem uma família? A falta de prazos do processo de adoção pode ser uma das respostas.
O casal Nilo e Mari Dolores esperou dois anos para conseguir entrar na fila de adoção. Depois mais três anos, até adotar definitivamente o primeiro filho do coração: Mateus. Cecília e Andriely vieram logo a seguir para completar a alegria da família.
Atualmente não existem prazos para todas as etapas do processo de adoção no Brasil. Mas, segundo o secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Edson de Oliveira, está sendo estudada uma proposta para estabelecer tempo …

Estudante da UFPB lança livro sobre educação financeira para o público infantojuvenil Imprimir

Imagem
Nathalia Immisch, estudante do quarto período do curso de Medicina da UFPB, com 19 anos de idade, acaba de publicar seu primeiro livro: “Achado não é roubado?”, pela editora Oficina das Finanças.

O título foi lançado durante a Semana Nacional de Educação Financeira 2017, que ocorreu entre 8 a 14 de maio, em Brasília (DF). Nesse período, a autora divulgou a obra em sessões de autógrafos e bate-papo em visita a diversas escolas da capital federal. Com os estudantes, Nathalia compartilhou experiências pessoais e falou sobre finanças.

“Achado não é roubado?” é uma obra interativa, preparada para o público infantojuvenil, sobre o uso do dinheiro com responsabilidade, cidadania e empreendedorismo. O livro aborda o tema de forma lúdica e permite ao leitor escolher o desfecho da estória, proporcionado reflexão sobre o poder das decisões individuais.

A jovem escritora partiu do conceito de que crianças e jovens na faixa etária de 6 a 12 anos tendem a absorver novas ideias e co…

Prorrogado prazo para aceitação de artigos sobre Cidades Inteligentes

O prazo para submissão de artigos para o IEEE International Summer School on Smart Cities (IEEE S3C), organizado pelo Instituto Metrópole Digital (IMD), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), foi prorrogado até o próximo dia 21 de maio. O evento será realizado em Natal, de seis a 11 de agosto. O IEEE International Summer School on Smart Cities (IEEE S3C) tem como objetivo promover um fórum valioso para troca de conhecimento entre indústria, comunidade científica e prefeituras, em todos os campos de Cidades Inteligentes, a fim de beneficiar estudantes, pesquisadores e profissionais. A notificação de aceitação dos artigos será feita no dia 15 de junho e da versão final, dia 1º de julho. Para informações mais detalhadas, acesse o site. Por Portal UFRN

Refugiado constrói 25 casas feitas de garrafas de plástico

Imagem
A soma de necessidade, talento, empatia e conhecimento, aliada a uma história pessoal de superação, fez do engenheiro Tateh Lehbib a perfeita encarnação do que de melhor a inteligência e a engenhosidade humana podem fazer. Tendo sido ele próprio um refugiado Saarauí – povo originário do saara ocidental, região ocupada pelo Marrocos desde a saída da Espanha, em 1976 – Tateh, com apenas 28 anos, desenvolveu, a partir da necessidade de construir um abrigo para sua avó, casas feitas de garrafas plásticas. Tateh Lehbib diante de uma de suas casas Cheias de areia e palha, as garrafas servem como tijolos, empilhadas uma sobre as outras, e depois cobertas por cimento e calcário pintado, para resistir ao intenso sol do deserto. Para construir a primeira casa, 6 mil garrafas foram utilizadas. Segundo o engenheiro, as casas custam um quarto do que custaria uma casa normal, e são 20 vezes mais resistentes. Com 25 casas construídos ou em construção, além de prover teto e paredes para ref…

Mapa-múndi ensina a maneira correta de pronunciar idiomas de acordo com a região de cada país

Imagem
Foto: A2img / Alexandre Carvalho
Se você já viajou para fora da sua cidade, com certeza deve se lembrar as diferentes maneiras que existem para se falar o português do Brasil. A essas diferenças damos o nome de sotaque. Cada região tem sua forma peculiar de falar, em alguns lugares se puxa o R, como no interior de São Paulo, em outros o S, como no Rio de Janeiro, em algumas áreas se fala bastante rápido, no Ceará, por exemplo, em outras se fala bastante devagar, como na Bahia. Em outros casos, as diferenças estão nas expressões usadas e, por isso, mesmo dentro do nosso próprio país, vez ou outra, fica difícil entender o que as pessoas estão falando. Ainda mais no Brasil, que tem dimensões continentais. Pensando em facilitar a compreensão dos sotaques, David Ding, ex-engenheiro de softwares da Microsoft, criou o Localingual, um mapa interativo online no qual é possível ouvir trechos de falas de pessoas de diversas regiões do globo. Clique aqui e veja o mapa interativo. Com …

Casa da Cultura recebe exposição de pacientes do Ceir A exposição “Histórias que Inspiram” fica na Casa da Cultura de Teresina até sexta-feira (19).

Imagem
Quem passar pelo Centro da cidade durante esta semana poderá visitar a exposição de quadros pintados por pacientes do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), na Casa da Cultura de Teresina, em frente à Praça Saraiva.

São 30 quadros pintados por pessoas com deficiência de todo o Piauí, que compõem a exposição “Histórias que Inspiram”, em comemoração aos nove anos do Centro de Reabilitação.

Uma das obras expostas é uma releitura de Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, feita pelo Felipe Brito durante seu tratamento. “Eu nunca imaginei que um dia o meu trabalho iria chegar onde está hoje”, conta o jovem, de 21 anos, ao visitar pela primeira vez a Casa da Cultura.

De uma inflamação na medula espinhal, o Felipe ficou sem o movimento das pernas aos 12 anos. Na arte, ele descobriu um talento que até então desconhecia. “Passei a ter mais contatos com obras renascentistas, barrocas, surrealistas. Pintei quadros como a Crucificação de São Pedro e de Salvador Dalí”, recorda.

Para Josy B…

Quem foi Homero?

Imagem
O famoso historiador grego Heródoto passou a considerar Homero como um dos principais formuladores de toda a mitologia grega Homero teria sido um poeta grego a quem é atribuída a autoria de duas grandes obras clássicas da Antiguidade: os poemas épicos A Ilíada e A Odisséia. O problema é que até hoje ainda não foi encontrada nenhuma prova concreta de que ele realmente teria existido. “Dados exatos sobre quem era Homero, onde vivia, em que data compôs os dois poemas são questões em aberto. Talvez tenham sido dois os autores e as obras até podem não ter sido compostas na Grécia”, diz a arqueóloga Elaine Veloso Hirata, da USP. As primeiras referências indiretas ao poeta e citações de seus épicos datam de meados do século 7 a.C., por isso, especula-se que, se ele existiu realmente, deve ter vivido por volta dos séculos 8 ou 9 a.C. Essa hipótese é sustentada pela análise do estilo e do conteúdo das obras homéricas. Em A Odisséia, por exemplo, há menções a comerciantes fenícios e outros det…

Evento discute ações do Maio Amarelo

Nesta sexta-feira (12) acontece no Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte uma coletiva de imprensa para detalhar as ações do Maio Amarelo, que este ano tem como tema “Minha escolha faz a diferença no trânsito”, colocando em pauta para a sociedade o tema trânsito e estimulando a participação da população, empresas, governos e entidades para a adesão dessa temática.   A partir das 9h, representantes da Secretaria de Saúde do município de Natal, Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), SME, STTU, Detran, CPRE, PRF, CBTU, UFRN, ITEP, CMB, SEL e ONG Trânsito Consciente falarão sobre as atividades relacionadas ao Projeto Vida no Trânsito. A discussão contará com a presença da representante do Ministério da Saúde/Projeto Vida no Trânsito, Sueli Nogueira. A Sesap e os parceiros do Projeto Vida no Trânsito realizam diversas atividades durante todo o mês de maio na capital e também no interior do estado. O Movimento Maio Amarelo é de caráter internacional de mobilização e conscientização para a…

Hoje, temos algumas ideias de livros inspiradoras sobre mulheres na ciência baseadas em histórias reais.

Imagem
“ESTRELAS ALÉM DO TEMPO”, DE MARGOT LEE SHETTERLY É a história fenomenal das matemáticas negras que levaram o homem para a lua. São elas: Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson. Durante a Segunda Guerra Mundial, a incipiente indústria aeronáutica americana contratou matemáticas negras para suprir a falta de mão de obra. Elas eram conhecidas como “computadores humanos”. Após a guerra, continuaram trabalhando para o governo e passaram a fazer parte da NASA, em uma época de segregação racial. Convivendo diariamente com o racismo e a exclusão, elas ainda garantiram que os Estados Unidos ganhassem a corrida espacial contra a União Soviética. O livro também foi parar no cinema com as atrizes Taraji P. Henson, Janelle Monáe, e Octavia Spencer. “A VIDA IMORTAL DE HENRIETTA LACKS”, DE REBECCA SKLOOTEm 1951, médicos tomaram uma pequena amostra de tecido com tumor cancerígeno de uma mulher negra chamada Henrietta Lacks. Ela não tinha conhecimento disso, nem deu seu consentimento, e l…

As principais contribuições de Jacques Lacan para a educação

Imagem
Entenda alguns dos conceitos desenvolvidos pelo médico e psicanalista francês

Para Jacques Lacan, o bebê só distinguirá o que lhe é interno ou externo ao reconhecer-se, ou ao Outro, na visão projetada no espelho | Foto: Shutterstock Na Paris dos anos 1920, o psiquiatra e psicanalista francês Jacques Lacan (1901-1981) frequentava livrarias e se reunia com os surrealistas, assistia com entusiasmo à leitura pública de Ulisses, de James Joyce (1882-1941), ligando-se a escritores, poetas, artistas plásticos, filósofos. Formado em medicina, Lacan orientou-se desde o começo de sua vida profissional para a psiquiatria e a psicanálise. Mas, por seus interesses e suas práticas mais abrangentes que os da psicanálise da primeira geração, nunca foi reconhecido pela Sociedade Psicanalítica de Paris (SPP), para a qual apresentava trabalhos que não eram levados em conta. Seu anticonformismo parecia causar irritação em seus pares na psicanálise de então. No entanto, fora dos círculos psican…

Fagner doa mais de dois mil livros para a Academia Brasileira de Letras

Imagem
Herdeiro da casa, em Copacabana, e de toda a biblioteca do casal de franceses Lydia e Jacques Libion, o cantor Fagner decidiu doar à Academia Brasileira de Letras os mais de 2 mil livros que recebeu. As obras reúnem o melhor da literatura francesa e inglesa, além de livros de arte, especialmente de pintura e de música. Jacques foi diretor da Livraria Hachette, no Rio, e acolheu em sua casa, a partir dos anos 60, muitos artistas em início de carreira. Elis Regina passou uma boa temporada por lá. Aliás e a propósito Fagner morou muito tempo com Jacques e Lydia e era considerado por eles como parte da família — os laços se fortaleceram ainda mais quando o casal, que perdeu um filho, soube que Fagner aniversariava no mesmo dia dele. Publicado em O Globo/Livros e pessoas

Vantagens da liderança participativa

O modelo de grandes líderes que têm todas as respostas é colocado à prova em um simples experimento sobre produtividade. A empresária e autora Margaret Heffernan, em uma palestra no TEDWoman de 2015, discutiu um experimento sobre produtividade, feito pelo biólogo William Muir, da Universidade Purdue (Indiana, EUA). William escolheu estudar galinhas por uma simples razão: a produtividade delas é fácil de medir, já que você simplesmente conta o número de ovos. Em seu estudo, ele queria saber quais fatores podem fazer com que galinhas sejam mais produtivas, então ele criou um experimento que trouxe dados que podem explicar como se dá a liderança nos negócios. Como galinhas vivem em grupos, o biólogo as dividiu em dois. O primeiro grupo, de controle, foi deixado sozinho por cinco gerações. Já no segundo grupo, Willian apenas selecionou as galinhas mais produtivas para se reproduzir — aquelas que produziram a maior quantidade de ovos — para criar um “suberbando” de “supergalinhas”. E o que…

Por que as águas dos rios Negro e Solimões não se misturam?

Imagem
Porque a composição química, a temperatura e a velocidade dos dois são diferentes. Ao longo de um percurso de cerca de 6 km, os rios Negro e Solimões andam lado a lado sem se misturar antes de se tornarem um só – o grande Rio Amazonas. Segundo Karime Bentes, professora de química da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), o fenômeno, conhecido como Encontro das Águas, acontece devido à diferença de “composição e acidez, aliada à temperatura e à velocidade das duas correntezas”. O Rio Negro, que carrega uma grande quantidade de matéria orgânica desde sua nascente na Colômbia (o que dá o tom escuro à sua água), corre a cerca de 2 km/h com uma temperatura de 28 °C. Já o Solimões, que nasce nos Andes peruanos e tem uma água de aspecto barroso, devido a uma carga de sedimentos vindos da erosão de solos de origem vulcânica, faz o percurso em uma velocidade aproximada de 4 a 6 km/h a uma temperatura de 22°C. Por Rafael Costa/Mundo Estranho