Revista Brasileira de Saúde Ocupacional - RBSO CHAMADA DE ARTIGOS!


 RBSO convida a comunidade técnico-científica a submeter artigos para o tema:

   “Atenção integral em Saúde do Trabalhador: desafios e perspectivas de uma política pública”

Nas últimas décadas, várias iniciativas da sociedade brasileira vêm procurando consolidar avanços nas políticas públicas de atenção integral em Saúde do Trabalhador que incluem ações envolvendo assistência, promoção, vigilância e prevenção dos agravos relacionados ao trabalho. No entanto, são grandes os obstáculos à consolidação de programas e ações que poderiam contribuir de forma mais efetiva para a melhoria dos indicadores nacionais, que ainda apontam o país em situação crítica quando comparado com nações socialmente mais desenvolvidas.

No ano de 2009, conforme dados da Previdência, de um total de 740.657 acidentes liquidados pelo Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS (http://www.mpas.gov.br/arquivos/office/3_101013-150048-095.xls), 2.496 trabalhadores morreram devido a acidentes do trabalho e 13.047  foram afastados por incapacidade permanente. Sabe-se, no entanto, que tais dados representam apenas uma pequena parte do total dos acidentes efetivamente ocorridos, por excluírem agravos não registrados pelas empresas e também aqueles sofridos por trabalhadores do setor informal. Além da reconhecida subnotificação,  assiste-se ao aumento dos agravos e ao surgimento de novo perfil de morbidade (em especial LER/DORT e problemas de saúde mental) decorrentes da reestruturação da economia e da produção.

Saúde do Trabalhador (ST) é um campo interdisciplinar e pluri-institucional que entende o trabalho como um dos principais determinantes sociais da saúde. Este entendimento, no entanto, não tem balizado o estabelecimento de políticas públicas, como pode ser observado, por exemplo, no que se refere à desconsideração deste aspecto pelas políticas de crescimento e aceleração da economia do país.

O desenvolvimento do campo ST nos últimos 25 anos se caracterizou por situação paradoxal, corroborada pela ausência de uma Política Nacional de Saúde do Trabalhador que proponha e permita: o crescimento do número de serviços e sua melhoria, na medida em que, de modo geral, funcionam com graves problemas estruturais (recursos, profissionais, salários, aparato legal, dentre outros fatores); o fomento e o incentivo ao desenvolvimento de serviços articulados intra-intersetorialmente, inovadores, com experiências exitosas e ação bastante efetiva, que demonstram a importância da ação pública no campo.

Como se explica, então, a efetividade dos “serviços” que produzem, de fato, ações de Saúde do Trabalhador? Quais fatores favoráveis podem ser apropriados por outros serviços? Como influenciar o desenho e a implementação de políticas no campo? Quais desafios estão colocados aos serviços de ST nas ações de assistência, vigilância/prevenção, reabilitação e promoção?

A RBSO e o Grupo de Trabalho (GT) Saúde do Trabalhador da ABRASCO propõem este debate com o propósito de contribuir para a discussão, o entendimento, a implementação e o avanço de uma das mais relevantes políticas públicas a serem efetivamente implantadas no país. Para esta finalidade, espera-se a submissão de artigos oriundos de pesquisas originais, textos de revisão, ensaios e relatos de experiência.

Os trabalhos deverão ser elaborados de acordo com as normas da RBSO, que podem ser acessadas no endereço eletrônicowww.fundacentro.gov.br/rbso.

Deverão também apresentar na primeira página a indicação:

Dossiê Temático: “Atenção Integral em Saúde do Trabalhador: desafios e perspectivas de uma política pública”

Prazo para submissão dos artigos: 30/11/2011

Os trabalhos deverão ser encaminhados para:
                                                                                                                               

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A água do mar e seus benefícios para a saúde

90% dos trabalhadores querem trocar de emprego, aponta pesquisa

Curiosidades: Ano Bissexto